Roteiro para um sábado em Londres

Por Fernanda Gaigher, escritora-colaboradora, residente em Londres

Um dos destinos mais populares do mundo, Londres é uma das cidades mais visitadas da Europa superando seu próprio recorde em numero de visitantes ano após ano. Em 2016, a capital recebeu quase 20 milhões de turistas. Não aleatoriamente, informações sobre atrações e dicas para aqueles que pretender vir se aventurar pela terras da rainha não faltam. Mas o que muita gente não fala, é que Londres vai além do que se vê e dificilmente será possível entender e conhecer a cidade com apenas uma visita.

Me mudei pra Londres há 10 anos, mas entre idas e vindas, faz três anos que a cidade é oficialmente my home away from home. Posso dizer que somente hoje entendo o que o escritor e pensador inglês, Samuel Johnson, quis dizer quando proferiu: “Quem está cansado de Londres, está cansado da vida.” A cidade do Big Ben, o relógio mais famoso do mundo, vai muito além de seus próprios clichês.

Um dos programas favoritos dos londrinos, e no qual eu também me incluo, é frequentar as feiras de rua. Londres oferece uma dezena delas em variados bairros e elas são uma expressão do caráter vibrante, cosmopolita e democrático da cidade. Como mencionei, são muitas as opções, entre os meus favoritos estão o Broadway Market, a feirinha de Brick Lane, o tradicional Borough Market e finalmente, o mercado de Portobello Road, que eu escolhi para descrever mais detalhadamente abaixo na minha sugestão de roteiro para um sábado em Londres.

Eu tive a oportunidade de residir neste bairro em 2012 e guardo lindas recordações dessa época. Por isso nada mais justo que minha dica fosse de um dia de roteiro por lá. Uma outra coisa que não pode ficar de fora do roteiro dos locais é uma parada no Pub. Um pub, porém, nunca deve ser confundido com o conceito que temos de bar no Brasil. Pubs são uma parte importante da vida e da cultura na Inglaterra, Escócia, País de Gales, Irlanda do Norte e, claro na Irlanda.

A palavra “pub” vem de “casa pública”. Nos velhos tempos, o termo se referia a casa de alguém que tinha sido aberta ao público. Um pub é verdadeiramente a sala de estar do bairro e um centro social único, por isso cada bairro de Londres possui ao menos um. Dessa forma uma ida ao Pub é indispensável para aqueles que estão em Londres, seja um residente ou alguém de passagem. Importante lembrar que não existe serviço de mesa nos pubs tradicionais. Você deve ir ao balcão para pedir sua bebida e também a comida, caso o pub sirva alguma. Mais pra frente mostro detalhes de um pub em Notting Hill que, na minha opinião, representa bem a cidade.

Por fim vou terminar minha a dica de roteiro com uma parada em um dos meus parques favoritos da cidade. E não estou falando do famoso Hyde Park. O Holland Park é um parque bem menor, mais romântico e bem menos movimentado.

Bora?

Portobello Market

Ao sair da estação de metro de Notting Hill é muito fácil achar o Portobello Market, para além das sinalizações é só seguir o fluxo. Um dos mercados de rua mais tradicionais de Londres, Portobello Market é mais conhecido pela grande oferta de antiguidades, o que atrai muitos colecionadores. Muitos de seus “antique shops” estão abertos todos os dias, mas é aos sábado que a rua ganha vida e vira endereço de centenas de barracas que se dividem entre frutas, legumes e flores, brechós a céu aberto – onde se encontra de tudo desde utensílios, roupas até discos e cosméticos. E claro, muitos comes e bebes. Se o amor te fisga pelo estômago, não há como não amar essa feirinha de Notting Hill.

As opções de comida “street food” são bem variadas, iguarias do México, Vietnam, China, Índia, Marrocos e muitos mais. Claro que o Brasil não fica de fora e se você for aos sábados vai encontrar com certeza uma barraca brasileira que vende pastel frito na hora.

Se não der pra programar sua visita para um sábado, o passeio ainda vale a pena. Mundialmente conhecido após ter sido cenário para o filme “Um lugar chamado Notting Hill”, as ruelas e casas vitorianas coloridas deste bairro são o cartão postal perfeito para seu álbum de viagem.

Fora isso a rua ainda oferece muitas opções de pubs e restaurantes charmosinhos que estão abertos todos os dias. Recomendo o Portobello Garden Caffe, escondido atrás de um vintage shop, esse trendy restaurante é um pedaço da Itália em Notting Hill.

The Churchill Arms

De Portobello Road são 10 minutos de caminhada até o  pub The Churchill Arms, se tiver dúvidas é só sair perguntando sobre o “pub das flores” que você logo vai se achar. The Churchill Arms é na minha opinião um pub que representa bem Londres e sua multiculturalidade. A começar pelas suas contradições, o nome do pub homenageia Winston Churchill, ex-primeiro ministro britânico e um ícone da segunda guerra mundial e tem em seu interior uma centena de jornais e fotos dessa época, mas é na verdade um pub irlandês em Londres – adendo pra o fato que a Irlanda sequer participou da guerra.

Outro fato interessante é que esse pub não serve comida de pub. E sim comida tailandesa. Pois é, se engana quem acha que o que mais chama atenção são as milhares de flores do lado de fora, por dentro o Churchill Arms é mais interessante ainda e tão florido quanto. No fundo do pub, há uma entrada para um “jardim secreto” que na verdade é um restaurante Tailandês. Por essas e outras que escolhi destacá-lo aqui, esse pub florido de esquina representa bem o tradicional e o contemporâneo, bem como a miscigenação e vibração da cidade.

Holland Park

Saindo do Churchill Arms,  são 15 min de caminhada até o incrível Holland Park, casa para o Museu do Design, este parque é um perfeito exemplo de parque urbano pós-colonial Inglês. Ao entrar, temos a impressão de estamos caminhando pelo jardim da casa de alguém. E é exatamente isso.

A região central do parque se desenrola em volta das ruínas da Holland House e possui variados jardins, muitos deles contam com esculturas e obras de arte e um dos jardins possui um jogo de xadrez gigante.  Tem também uma área de playground para crianças, um café, um Restaurante e campos de críquete e ténis e o parque ainda conta com dois jardins japoneses, sendo que um deles, o “Kioto Garden”,  por si só já valeria a visita.

Mas o charme fica mesmo por conta dos nobres moradores do parque, lindos pavões azuis circulam livremente pelas “redondezas“ do parque. Agora é só tirar o lençol da bolsa e aproveitar o fim de tarde em meio a natureza. Ou voltar para o The Churchill Arms para mais uma Pint. 😉

Commentários