O estudo dentro do coração do aluno

Por Sandra Regina Silva, professora de inglês da Hippo Business

Após tantos anos de experiência em escolas públicas e particulares, em cursos técnicos e de idiomas, com turmas grandes e pequenas, de crianças, jovens e adultos, trago nas lembranças as observações e impressões a respeito do relacionamento entre o aprendiz e o assunto estudado.

Uma das minhas convicções sobre a importância do método e da instituição de ensino é que “o aluno faz a escola”, ou seja, sem entrega e dedicação, nem o melhor colégio ou universidade do mundo funciona. Tanto é assim que há excelentes autodidatas, para quem o envolvimento com a pesquisa e o aprendizado é natural e efetivo, e frequentar uma sala de aula não é essencial.

A sensação mais motivadora para o professor que se doa em prol da evolução dos seus alunos, é a atitude amorosa que demonstram perante os livros e a disposição para realizar as atividades da melhor forma – mesmo quando não têm outro tempo além da horinha de almoço no serviço ou depois que os filhos dormem, mesmo que estejam exaustos e precisem madrugar para começar tudo de novo no dia seguinte.

O respeito profundo aos estudos me traz emoções e permanece gravado na minha alma. Seja o adolescente tímido ou o diretor de empresa bem sucedido e brilhante, o que me chama a atenção é a vontade de superar os obstáculos e tornar real o sonho de se expressar em outro idioma. E eles conseguem! Como? Levados pelo amor e pelo desejo de progresso, ouvindo recomendações, dicas e conselhos e procurando segui-los sem titubear ou inventar desculpas, pois, como dizia o poeta Renato Russo, “mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira”.

Nem todos têm a mesma facilidade com certos conteúdos, o que torna a determinação ainda mais preciosa e fundamental para o sucesso. Às vezes, tudo contribui para a desistência: problemas na família, desemprego, saúde frágil e dificuldade de assimilação ou memorização. Mas a vontade de vencer é tão forte que não se entregam. Nem mesmo as estruturas mais complexas, ou os testes mais difíceis – cujos resultados poderiam abalar definitivamente a autoestima de qualquer ser humano -, os impede de se verem no futuro dando palestras e treinamentos em inglês, sem tantas pausas durante a fala, com a certeza das expressões e termos adequados que usam e confiantes na pronúncia e nos conhecimentos que assimilaram.

É possível ver essa cena nos olhos brilhantes de esperança e gratidão pelo apoio do professor. Mal sabem esses alunos dedicados, a intensidade da admiração que sentimos por sua persistência, que nos prende como um ímã e nos faz buscar um modo de trazer à realidade um sonho que também é nosso, vencer um desafio que não nos deixa desistir nunca. Isso nos move ainda mais toda vez que os vemos sorrindo e dizendo que foi difícil, mas, sem dúvida, valeu muito à pena!

Commentários